music_lucas2109Diagnosticado com paralisia cerebral, Lucas encontrou no rock uma maneira de retratar os episódios mais marcantes do seu cotidiano.Ao andar pelos corredores da Expomusic é possível encontrar todo tipo de história ou personagem. A música, por si só, toca o nosso coração e nos prende em um universo paralelo, infinito, cheio de possibilidades.

A emocionante história do menino Lucas mostra que nada em nossa vida pode ser considerado um obstáculo, ainda mais quando as ferramentas para construir um futuro estão inseridas na música.

Rock’n Roll na veia

Hoje com 14 anos, Lucas já passou por diversos procedimentos hospitalares e acidentes, em função, claro, de seu problema de saúde. Isso, no entanto, só serviu de inspiração para o jovem, que se aproveitou dessas dversidades para montar um repertório visceral, tocante e verdadeiro. Sua banda, a “Chama o Samu”, é formada por amigos e pelo pai, Luiz Carlos, seu maior incentivador.

“Ele mesmo compõe as músicas, agenda shows e monta a lista do que vai tocar. Como não tem muito tempo, o Lucas toca apenas em festivais e eventos que se encaixam em sua agenda”, conta a mãe, Claudia.

As musicas, assim como o nome da banda, são inspiradas em episódios do seu cotidiano, como a “Você não come. Você engole”, que fala do pouco tempo que o menino dispõe para se alimentar, já que vive uma estafante rotina de exames e tratamentos. Outra canção, a “Kidney Stones”, conta do problema que ele teve com um cálculo renal e pedras nos rins.

Todas as letras e interpretações são acompanhadas por um som pesado e de qualidade. A oportunidade de se apresentar na Expomusic, no estande da Roland, foi por acaso. “Em uma das visitas que fizemos aqui ele mesmo conversou com o pessoal da Roland e montou o show. Eles (da Roland) aceitaram na hora, conta a mãe.

Desde pequeno, Lucas se supera e mostra às pessoas que tudo é possível. Durante sua apresentação na Expomusic, para um estande lotado, sua mensagem pôde ser compartilhada e, sem dúvida, disseminada a muitos corações.